ANTOINE WATTEAU - PINTOR FRANCÊS

Antoine Watteau
Jean-Antoine Watteau nasceu em 10 de outubro de 1684 em Valenciennes, França. Suas primeiras pinturas se enquadravam na tradição flamenga. Em 1702, porém, o artista mudou-se para Paris e pouco depois ingressou no ateliê de Claude Gillot, cenógrafo teatral. Em 1709 tentou sem êxito o Prêmio de Roma e decidiu então regressar a sua cidade natal. Voltou para Paris no ano seguinte e obteve sucesso como pintor das fêtes galantes, cenas de caráter festivo, ao ar livre, protagonizadas por cortesãos e celebradas também na poesia de Verlaine.

A pintura elegante e aristocrática de Watteau, bastante influenciada pelo espírito e pelos personagens da commedia dell'arte italiana, caracterizou o gosto pictórico rococó do século XVIII.

A primeira das três versões do quadro que daria fama a Watteau, "Embarque para Citera", foi executada entre 1710 e 1712. Mostra um motivo de comédia, em ambiente vagamente veneziano. A segunda e mais bela das versões sugere um ritual profano, numa paisagem irreal e imensa, quase tenebrosa. A terceira versão já é uma vulgarização do tema, com anjinhos esvoaçando em torno da gôndola mitológica. Comum às três composições é o clima teatral, espécie de transposição cromática de tudo o que é sugerido pelo universo do teatro. As cenas mitológicas e as alegorias, no entanto, não são as mais comuns na obra de Watteau, que prefere sempre a temática da comédia humana.

Apesar da fama crescente, Watteau conservou o temperamento retraído e viveu isolado e insatisfeito consigo mesmo durante vários anos. Em 1715 travou conhecimento com o rico financista Pierre Crozat, que acabara de comprar uma valiosíssima coleção de arte. Entusiasmado com o trabalho de Watteau, Crozat instalou-o em sua casa, como era hábito entre os ricaços amantes das artes na época, e lá o artista conviveu com obras de artistas flamengos e italianos, como Correggio e Van Dyck.

Depois de abandonar a casa de seu mecenas, mas não sua amizade, Watteau produziu várias de suas obras-primas, como "Concerto campestre" e "Conversações". Em 1717 apresentou à Academia Real a segunda versão de "Embarque para Citera", que teve excelente acolhida. Duas de suas telas mais importantes, "O amor no teatro francês" e "O amor no teatro italiano", foram pintadas nos dois anos seguintes. Nelas, a influência teatral se manifesta não apenas na temática, mas também na típica composição cenográfica.

Acometido de tuberculose, Watteau viajou em 1719 para Londres a fim de receber cuidados médicos, mas voltou um ano depois sem melhora. Nessa época pintou "Sob a insígnia de Gersaint", que originariamente serviu de letreiro para a loja do marchand Gersaint, seu amigo. O quadro, mais tarde dividido ao meio, representa uma galeria de arte em que os empregados encaixotam um soturno retrato do monarca Luís XIV, como alusão ao fim de seu reinado.

Entre as últimas obras de Watteau sobressai "Gilles", retrato de um personagem teatral com uma forte carga melancólica. As figuras e cenas de Watteau se converteram em modelos de um estilo bastante copiado, que durante muito tempo obscureceu a verdadeira contribuição do artista para a pintura do século XIX. Watteau morreu em Nogent-sur-Marne, perto de Paris, em 18 de julho de 1721.

Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

Posts Relacionados

CityGlobe