ANTÔNIO SIQUEIRA CAMPOS - LÍDER TENETISTA BRASILEIRO

Antônio de Siqueira Campos
Antônio de Siqueira Campos nasceu em Rio Claro (SP) em 18 de maio de 1898. Filho de pais pobres, cursou a Escola Militar como única opção para continuar os estudos. Da mesma turma de Luís Carlos Prestes e Eduardo Gomes, era favorável à participação do Brasil na primeira guerra mundial. Era primeiro-tenente em 1922, quando os militares, em choque com o governo central, insurgiram-se no forte de Copacabana em 5 de julho e iniciaram o bombardeio de pontos-chave da cidade. O movimento ficou isolado e, após inúmeras deserções, um pequeno grupo de menos de trinta pessoas saiu à rua para enfrentar a pé as tropas legalistas, no episódio conhecido como os "Dezoito do Forte". Entre os quatro sobreviventes do grupo estava Siqueira Campos que, após restabelecer-se dos graves ferimentos, foi condenado. Pediu baixa do Exército, o que não obteve, asilou-se no Uruguai e foi considerado desertor.

No episódio conhecido como o dos "Dezoito do Forte", em 5 de julho de 1922, Siqueira Campos foi ferido pelos governistas na praia de Copacabana, na esquina da antiga rua Barroso, que mais tarde tomou o nome do líder tenentista.

Em Montevidéu e depois na Argentina, levou vida civil e dedicou-se ao comércio. Retornou ao Brasil para tomar parte no novo levante militar, ocorrido em 1924. Junto com Juarez Távora, sublevou as tropas do Rio Grande do Sul e assumiu o comando de um dos flancos da Coluna Prestes, que seguiu para o interior do país.

Como um dos líderes do movimento revolucionário que eclodiria em 1930, Siqueira Campos tomou conhecimento de um manifesto que Prestes, refugiado em Buenos Aires, planejava lançar à nação, em que criticava a Aliança Liberal, coalizão política que apoiava os revolucionários. Juntamente com outros líderes, foi a Buenos Aires para tentar dissuadir Prestes de divulgar o documento antes que se deflagrasse a revolução e, na volta, o avião em que viajava caiu. Siqueira Campos morreu afogado, perto de Montevidéu, em 10 de maio de 1930.

Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

Posts Relacionados

CityGlobe