ANDREA MANTEGNA - PINTOR ITALIANO

Andrea Mantegna
Andrea Mantegna nasceu perto de Vicenza, na República de Veneza, em 1431, e formou-se na oficina de Francesco Squarcione, em Pádua. Em 1448 possuía sua própria oficina e recebeu a primeira encomenda importante: o painel da igreja de Santa Sofia, hoje perdido. Pintou em 1449, na igreja dos eremitas de Pádua, os afrescos da capela Ovetari, destruídos num bombardeio durante a segunda guerra mundial.

Precursor da pintura renascentista no norte da Itália, Andrea Mantegna iniciou uma tradição de decoração com afrescos, com efeitos criados pela manipulação da perspectiva, que foi seguida durante três séculos.

Em 1453, o artista casou-se com a filha de Jacopo Bellini, de uma das principais famílias de pintores de Veneza. Interessou-se pelos estudos de perspectiva e desenhos arquitetônicos de Bellini, mas preferiu seguir seu trabalho de modo independente em Pádua, onde foi influenciado pelo escultor Donatello. Em 1459, começou a trabalhar como pintor da corte de Ludovico Gonzaga, em Mântua. Realizou nesse período algumas de suas obras mais célebres, como os afrescos da Camera degli Sposi (Aposento Nupcial), no palácio Ducale de Mântua. Nela, o artista construiu um sistema de decoração homogênea, com elementos pintados no teto e nas paredes, que, vistos do chão, imitavam formas tridimensionais. Outras obras notáveis do período foram "Morte da Virgem" (1465), "Cristo morto" (1466) e "Triunfo de César" (1486).

Hoje em dia, os historiadores da arte atribuem tanto à personalidade quanto à obra de Mantegna uma importância excepcional. Com efeito, foi esse artista que, trabalhando nas cidades do vale do Pó, rompeu definitivamente com o estilo gótico, que se mantinham plenamente vivo ainda em meados do século XV. Desde o precoce início de sua carreira, ele assumiu uma decidida atitude em favor da renovação e do progresso da pintura -- e jamais, ao longo da vida, afastou-se dessa posição. Por tudo isso, foi fortíssima sua influência sobre os pintores venezianos e lombardos.

Entre 1488 e 1490, decorou a capela do palácio Belvedere em Roma, destruída em 1780. Durante os últimos anos de vida, prosseguiu seu trabalho de criação com obras como "Madona da Vitória" (1495) e "Parnaso" (1497). Mantegna morreu em Mântua, em 13 de setembro de 1506.

Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

Posts Relacionados

CityGlobe